segunda-feira, 29 de março de 2010

Pensar os Irmãos III

O relacionamento entre irmãos é provavelmente mais difícil durante a segunda metade do segundo ano de vida do filho mais novo pelo que esta deve ser uma altura de especial atenção.

É importante:
- Manter rituais que facilitam a aproximação dos irmãos (refeições em família, etc);
- Não fazer comparações, isso alimenta confrontos entre filhos. É necessário encorajá-los a pensar na perspectiva do outro “o que achas que ele sente?””e tu como te sentirias?”
- Elogiar a responsabilidade demonstrada quando não foi solicitada;
- Elogiar de forma adequada e em quantidade moderada. É importante que eles próprios saibam ficar felizes com os seus sucessos.
- Que as críticas sejam feitas numa conversa a dois evitando sempre o nunca e o sempre.

“Quanto mais os filhos se sentem seguros com os pais, melhor se relacionam entre eles.” (Teti & Ablard, 1898)

Conhecer e valorizar a individualidade e personalidade única de cada filho é primordial para uma dinâmica familiar satisfatória.
Investir na relação através de actividades em conjunto deve ser uma prioridade para a saúde da vida familiar (conversar, ler, jogar, brincar…).

2 comentários:

Mrs. MF disse...

Tenho um filhote de um ano, e pensamos ter outro filho quando ele tiver já dois aninhos. Com dois anos, um bebé é capaz de compreender a existência de um irmão? A sua adaptação ao 'outro' é mais fácil do que, por exemplo, a partir dos 3 anos? O que esperar de uma criança de dois anos que se depara com a chegada de um irmão?

Ana Rita Monteiro, Fátima Pinto disse...

Boa tarde! Alguns estudos apontam os 3 anos de diferença entre irmãos como o mais frequente em termos históricos. No entanto, tendo em consideração o desenvolvimento infantil, os cuidados exigidos por ambos bem como o relacionamento entre irmãos, muitos autores apontam os dois anos, dois anos e meio como a idade ideal para o nascimento do segundo filho. O primeiro começa a ser mais independente, nomeadamente no que diz respeito à alimentação, sono e controlo das necessidades fisiológicas. Nesta altura começam também a estar disponíveis para o grupo de pares e portanto mais autónomos. Já terá a percepção de que existe um maninho que exige mais atenção e que poderão ajudar os pais e bebé em pequenas tarefas.
Assim, um intervalo menor é de evitar, dado que o filho ainda exige muita atenção e cuidados mais exigentes... habitualmente, em tom de brincadeira, dizemos que não queremos dois bebés de fraldas em casa. É sensato esperar que o mais velho adquira alguma autonomia. A partir dos dois anos e meio qualquer altura é boa desde que afastada de mudanças significativas como entrada para infantário, escola, etc.
Quando estiver à espera do um novo filho, comece a preparar o mais velho. Envolva-o na preparação das roupinhas do bebé e fale abertamente do irmão que está na barriga da mãe. Uma vez na família, evite afastar o mais velho para "proteger" o mais novo e incentive-o a ser meigo, embalar o irmão, etc. Não se esqueça de reservar todos os dias, pelo menos 15 minutos para um tempo a dois, em que a sua atenção será exclusiva e direccionada ao mais velho. Um passeio por semana (a dois) poderá também ser útil.
Esperamos ter ajudado!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails